Os Retornos Do Seu Fundo Valem o Risco?

O índice De Sharpe pode ajudar os investidores a comparar os perfis de risco/retorno dos fundos.

Esther Pak 06/07/2020 14:03:00

Pergunta: Apreciei sua série sobre estatísticas da Modern Portfolio Theory, como Alfa e Beta. Mas e outras medidas de risco, como o índice de Sharpe?

 

Resposta: Além das estatísticas do MPT, Morningstar.com oferece várias outras medidas de volatilidade. Uma delas é o índice de Sharpe, um padrão do setor que se tornou uma métrica popular na quantificação do perfil de risco/retorno de um fundo. Mas, embora o índice de Sharpe contenha muitas aplicações práticas, é importante entender a extensão de sua utilidade.

 

O Que É O Índice De Sharpe

Desenvolvido por William F. Sharpe, o Índice de Sharpe mede os retornos ajustados ao risco de um fundo. A ideia básica é ver quanto retorno adicional (acima e além de um ativo livre de risco, como um título do Tesouro dos EUA), um investidor colhe pela volatilidade adicional de manter o ativo. Quanto maior o índice de Sharpe de um fundo, melhores os retornos de um fundo em relação à volatilidade sofrida (medida pelo desvio padrão). Os investidores podem então avaliar se o retorno de um fundo justifica o risco.

Para esse fim, o índice de Sharpe é uma medida útil, porque um fundo que supera seus pares pode parecer menos atraente se esses retornos vierem com muita volatilidade adicional. Um fundo que pode obter um retorno de 6% com volatilidade leve provavelmente é uma aposta melhor do que um fundo que pode atingir um retorno de 7%, mas apenas com muitos altos e baixos.

 

Como é Calculado?

Desde que um fundo possua pelo menos 36 meses de dados, a Morningstar calcula o Índice de Sharpe de um fundo para os períodos de um, três, cinco e 10 anos. É calculado mensalmente dividindo-se os retornos mensais excedentes de um fundo (o retorno do portfólio menos o retorno sem risco de um benchmark) pelo seu desvio padrão mensal. Observe que o desvio padrão e o Índice de Sharpe são, em última análise, números anualizados. Clique aqui para saber mais sobre como o Morningstar calcula a proporção de Sharpe e o desvio padrão.

Quanto maior o desvio padrão de um fundo, maior precisa ser o retorno do fundo para obter um alto Índice de Sharpe. Inversamente, os fundos com desvios-padrão mais baixos podem exibir um Índice de Sharpe mais alto se eles tiverem retornos consistentemente decentes. Lembre-se de que, embora um índice de Sharpe mais alto indique um melhor desempenho histórico ajustado ao risco, isso não se traduz necessariamente em um fundo de menor volatilidade. Um Índice de Sharpe mais alto significa apenas que a relação risco/retorno do fundo é mais proporcional ou ideal.

 

Como pode ser usado?

O Índice de Sharpe ajuda a fazer uma comparação mais direta de quanto risco cada um dos fundos teve que suportar para obter excesso de retorno sobre a taxa livre de risco. E como o Índice de Sharpe é ajustado ao risco (o desvio padrão é uma medida padronizada e calculada da mesma maneira para todos os fundos), ele nivela o campo de jogo. Isso permite que os investidores comparem os índices de Sharpe de fundos que empreguem estratégias diferentes - crescimento versus valor ou estratégias alavancadas versus desalavancadas, por exemplo.

Embora não dê para negar que o Índice de Sharpe seja útil, a métrica não deixa de ter deficiências. Para iniciantes, o Índice de Sharpe (como as estatísticas do MPT) é calculada com base em retornos históricos que, como costumamos lembrar, não são indicadores de resultados futuros. Isso é particularmente verdadeiro se a administração ou o mandato de um fundo for alterado, o que pode resultar em uma estratégia e perfil diferentes no futuro. Outra desvantagem é o fato de o Índice de Sharpe ser um número bruto. Embora saibamos que um Sharpe mais alto é favorável, é difícil reconhecer se é bom ou ruim, alto ou baixo, quando analisado isoladamente. No entanto, compará-lo com o Índice de Sharpe para um fundo, índice ou categoria semelhante permite que os investidores coloquem em contexto o Sharpe do fundo.

Os Índice de Sharpe negativos também são problemáticos, porque, contra-intuitivamente, quando os retornos são negativos, maior risco resulta em um Índice de Sharpe mais alto. Além disso, alguns argumentam que um índice de Sharpe negativo não é significativo porque o objetivo é ajudar a colocar em evidência os excessos de retorno de um investimento e, quando um fundo tem retornos negativos, obviamente não está superando a taxa livre de risco. Além disso, o uso do desvio padrão na fórmula do Índice de Sharpe impõe seu próprio conjunto de limitações, porque o desvio padrão assume uma distribuição de retorno aproximadamente simétrica. Para fundos com retornos assimétricos, o desvio padrão pode ser uma medida problemática de volatilidade.

Por fim, é sempre importante empregar índices de Sharpe dentro do contexto de seu próprio perfil de risco. Se você tiver um horizonte de tempo de investimento longo, os valores do Sharpe de curto prazo não serão tão relevantes. Como observado anteriormente, lembre-se de que é possível que um fundo mais arriscado possa ter um Índice de Sharpe mais alto do que um fundo menos empolgante, mais arroz-com-feijão se os retornos do primeiro fundo forem altos o suficiente. Os investidores avessos ao risco ainda podem escolher o fundo arroz-com-feijão, porque, apesar da promessa de retornos mais altos, eles também valorizam um caminho mais suave.

 

Artigo original em https://www.morningstar.com/articles/382974/are-your-funds-returns-worth-the-risk

TAGS

About Author

Esther Pak  Esther Pak is an assistant site editor of Morningstar.com.

© Copyright 2020 Morningstar, Inc. Todos os direitos reservados.

Termos de Uso        Política Privacidade        Cookies