Por Que As Bolhas Financeiras Estouram?

Os investidores devem manter a calma, fazer a lição de casa e ter paciência para esperar a conclusão de suas teses, mesmo que isso signifique nadar contra a maré.

Ruth Saldanha 06/08/2020 15:48:00

Começando com a mania das tulipas nos anos 1600, o colapso do mercado de ações antes da Grande Depressão e o frenesi das pontocom, as bolhas do mercado já existem há muito tempo. Embora a bolha em si mude, a ideia de bolhas persiste.

Nos últimos tempos, o bitcoin foi o mais recente a ser chamado de bolha - em 2018, a criptomoeda perdeu quase 80% de seu preço, de mais de US$ 16.000 em janeiro de 2018 para pouco menos de US$ 3.200 em dezembro de 2018.

Então, como você pode reconhecer uma bolha?

“Um tema consistente da formação de bolhas é que seus promotores a consideram algo 'novo' no mundo que mudará a maneira como fazemos as coisas e que o valuation é algo irrelevante porque, de alguma forma, 'é diferente desta vez'”, diz Michael. Job, vice-presidente e gerente de portfólio da Leith Wheeler Investment Counsel.

Ele ressalta que há sempre um sentimento de orgulho entre os participantes por terem descoberto ou entendido essa nova oportunidade e outros não, e em muitos casos, novos instrumentos financeiros são criados e aclamados pela indústria de investimentos para sua nova aplicação.

"A alavancagem também costuma ter um papel importante em acentuar o problema", acrescenta ele.

 

Bolhas vs Empresas

É importante, porém, fazer uma distinção entre bolhas e negócios subjacentes. Por exemplo, embora a bolha das pontocom tenha fechado grandes nomes como pets.com, empresas como a Cisco, que caiu quase 90% no crash, se recuperaram e sobreviveram. Da mesma forma, os especialistas fazem uma distinção entre bitcoin e blockchain.

“Enquanto o último 'abastece' o primeiro, o blockchain tem muitos usos comerciais mais tradicionais do que as criptomoedas. O Blockchain é complexo, mas os negócios baseados em sua tecnologia têm maior probabilidade de torná-lo parte de um de nossos portfólios do que o Bitcoin jamais teria”, diz Job.

"A melhor maneira de os investidores diferenciarem um novo negócio de um modismo é fazer a lição de casa", diz Shehryar Khan, analista sênior de investimentos da Morningstar. “Eles devem considerar se os negócios que estão analisando têm ganhos. Uma empresa pode não ser necessariamente lucrativa se estiver reinvestindo fortemente em suas operações para expandir seus negócios, mas a empresa precisa demonstrar capacidade de gerar lucros em algum momento no futuro.”

Em segundo lugar, os investidores precisam avaliar quanto estão pagando por um negócio. Pagar múltiplos de 30, 40 ou 50 vezes geralmente não é uma receita para o sucesso, pois uma grande empresa pode ser um investimento ruim se comprada a um preço muito alto, diz Khan, ressaltando que, às vezes, encontrar um bom negócio significa ter que esperar alguns anos antes que o mercado ofereça a oportunidade de comprá-lo a um preço atraente, mas isso faz parte de ser um investidor disciplinado.

“Finalmente, os investidores precisam monitorar seus investimentos para garantir que o motivo da compra de uma empresa esteja avançando conforme o esperado. As empresas podem falhar na execução de suas estratégias por várias razões: má administração, mudança na dinâmica do setor ou pura má sorte”, diz Khan.

Enquanto isso, Michael Job avalia todos os negócios, novos ou antigos, da mesma forma, procurando coisas como uma vantagem competitiva sustentável, um forte histórico de gestão, um valuation convincente, sólida geração de fluxo de caixa, um compromisso de obter retorno sobre o capital investido e similares.

“Nem 'novos negócios' nem 'modismos' costumam marcar muitas (ou algumas) dessas caixas e o resultado é que podemos, francamente, perder alguns dos movimentos iniciais”, diz ele.

Como exemplo, Job aponta para a bolha tecnológica.

“Na época, sofremos uma tremenda pressão de clientes e consultores por nossa alocação zero no setor, quando alcançou seus picos mais altos no final dos anos 90/início dos anos 2000. É surreal dizer isso, mas em 1999 nós ficamos atrás do TSE 300 em 23,5% e perdemos outros 15,6% no primeiro trimestre de 2000”, disse ele.

Job é rápido em apontar que a gestora não teve problemas com 100% dos negócios, embora muitos tivessem modelos de negócios falhos ou discordavam de que a economia da Internet seria importante. Era o fato de o mercado parar de se importar com os valuations por completo que era o ponto de preocupação.

“Essa é uma das partes mais perigosas da formação de bolhas - a idéia de que o preço que você paga pela propriedade de um negócio não importa mais. Em algum momento, sempre acontece”, ele diz.

 

O Que Os Investidores Devem Fazer?

O chefe da ciência comportamental da Morningstar, Stephen Wendel, diz que um investidor individual deve se armar com uma narrativa, de antemão, para entender a excitação de outras pessoas. Por exemplo, grande parte dessa emoção pode ser porque as pessoas se alimentam uma da outra e isso tem pouco a ver com os fundamentos. Essa é uma narrativa orientada ao valuation. Mas outras narrativas precisas também poderiam funcionar, de outras filosofias de investimento, diz ele.

“Os investidores podem se beneficiar das bolhas sendo ‘contrários’. Uma bolha normalmente resulta em um grande escrutínio em uma ou duas áreas do mercado, deixando outras prontas para a colheita”, diz Khan. Em 2018, por exemplo, a dispersão entre ações de valor e crescimento nos EUA ofereceu muitas oportunidades para investidores contrários em um mercado amplamente considerado caro em relação a outros setores, especificamente nos setores de produtos básicos e de saúde, diz ele.

Wendel sugere duas ferramentas - externalização e atrito: “Externalizar significa escrever cuidadosamente suas próprias regras de investimento pessoal, quando você estiver em um estado calmo, e depois usar a versão escrita para orientar suas ações diárias. Esta é uma ferramenta para evitar o uso de intuições e emoções (maleáveis) no momento. O atrito é para diminuir a velocidade: tornando mais difícil agir de forma imprudente no momento, para que você possa voltar ao problema com a cabeça mais calma”.

As duas maiores características para ser bem-sucedido nos investimentos são ter a mentalidade que permita que um investidor se sinta à vontade em ir contra a maré, e a paciência de esperar que sua tese se concretize, diz Khan.

 

Artigo original em https://www.morningstar.ca/ca/news/191268/why-financial-bubbles-burst.aspx

 

About Author

Ruth Saldanha

Ruth Saldanha  é Editora Senior em Morningstar.ca

© Copyright 2020 Morningstar, Inc. Todos os direitos reservados.

Termos de Uso        Política Privacidade        Cookies