Doze Fundos de Destaque Geridos por Mulheres

Esses fundos mútuos formam bons constituintes de portfólios.

Susan Dziubinski 07/03/2020 07:00:00

Quando se trata da indústria de fundos, ainda é um mundo masculino.

As pesquisas mais recentes da Morningstar descobriram que, quando se trata de diversidade de gênero, a indústria global de fundos parece quase a mesma de 20 anos atrás: 14% dos gestores de fundos no final de 2000 eram mulheres, mesmo percentual em 2019.

Hoje, nos concentraremos em uma dúzia de fundos geridos por mulheres. Especificamente, todos esses fundos obtiveram um Morningstar Fund Analyst Rating de bronze ou melhor, e estão em categorias que os investidores frequentemente buscam para construir seus portfólios.

 

Aqui está uma análise mais detalhada dos quatro fundos da lista.

Alger Small Cap Focus (AOFIX)

Gestora: Amy Zhang

Início do mandato: fevereiro de 2015

Observe que este fundo fechou para alguns investidores em 2019, mas é uma ótima opção de small-growth para os investidores que ainda podem obter acesso.

Aqui está o que o analista sênior Christopher Franz tem a dizer em seu último relatório:

“A experiência de gestão e uma abordagem comprovada e distinta apóiam a classificação de Silver do Alger Small Cap Focus.

Quando a gestora Amy Zhang ingressou na Fred Alger Management, no início de 2015, e assumiu essa estratégia, ela não era estranha às small-caps. Há muito tempo ela contribuiu de maneira importante na BCSIX da Brown Capital Management, fundo com classificação a ouro, ajudando-o a acumular um dos melhores históricos ajustados ao risco da categoria Morningstar de small-growth nos seus mais de 12 anos como co-gestora. Zhang não trouxe ninguém de sua empresa anterior, mas adotou uma abordagem de investimento semelhante. Aqui, ela é apoiada por quatro analistas dedicados, mas é a única gestora, o que implica em riscos de pessoas-chave.

A abordagem de Zhang ao investimento de pequena capitalização se destaca. Em vez de focar no valor de mercado, ela define seu universo em termos de receita, concentrando-se em empresas com receita operacional de US$ 500 milhões ou menos, cujos produtos ou serviços diferenciados atendam à necessidades emergentes. Este foco a aponta para nomes inovadores de assistência médica e tecnologia, que em março de 2019 representavam mais de 80% dos ativos no portfólio de 50 ações. Esse posicionamento apresenta um óbvio risco específico setorial, e a estratégia também aumenta o risco de preço em relação aos seus pares, pois essas empresas geralmente não são baratas. Ainda assim, a preferência de Zhang por empresas ricas em caixa e com vários anos de histórico operacional ajudou a evitar explosão de ações, e os níveis de dívida abaixo da média fornecem algum consolo.”

 

Ariel International (AINIX)

Gestora: Rupal Bhansali

Início do mandato: dezembro de 2011

Esta é uma escolha sólida para os que buscam ações internacionais - particularmente aqueles que são avessos ao risco.

O analista Connor Young explica em seu último relatório:

"A experiente gestora da Ariel International e a abordagem cautelosa, porém eficaz, apóiam a classificação Bronze.

Rupal Bhansali é a única gestora dessa estratégia desde o início de dezembro de 2011. Antes de ingressar na Ariel Investments em 2011, passou uma década na MacKay Shields, apresentando resultados sólidos no MainStay MacKay International Equity. Bhansali tem 28 anos de experiência na indústria e conta com o apoio de outros oito membros da equipe de pesquisa, cada um com pelo menos uma década de experiência no mercado.

Bhansali e sua equipe tentam fornecer retornos superiores com risco abaixo da média. Eles se concentram primeiro no gerenciamento de riscos, usando filtros quantitativos e qualitativos para eliminar as empresas propensas a prejudicar o capital e as empresas com modelos de negócios questionáveis. Eles então mergulham nos fundamentos, buscando negócios duráveis e incompreendidos. Por exemplo, Bhansali acredita que o mercado não precificou as altas barreiras à entrada na indústria de pneus; assim, ele precificou erroneamente um dos 10 principais papéis do fundo, o Cie Generale des Etablissements Michelin e também a Bridgestone, uma posição menor que Bhansali recentemente adicionou ao portfólio. A participação do fundo em empresas com classificação de Larga no Morningstar Economic Moat Ratings é rotineiramente superior à do índice MSCI EAFE, assim como seu retorno sobre o patrimônio líquido.

O foco de Bhansali em empresas de alta qualidade e a atenção ao risco ajudaram a estratégia a se sair bem em mercados desafiadores. Quando as ações caíram em 2018, a estratégia ficou no principal decil da categoria Morningstar foreign large-blend, devido a papéis de em serviços financeiros e healthcare, além de um caixa acima da média. Por outro lado, não acompanhou os rallys do mercado. Esse foi o caso em 2017, quando a estratégia registrou um índice de 8 pontos percentuais, brecada por sua posição de caixa e seleção ruim de ações na zona do euro.”

 

Vanguard Health Care (VGHCX)

Gestora: Jean Hynes

Início do mandato: maio de 2008

Este não é apenas um ótimo fundo de healthcare - ele está entre os melhores fundos setoriais que a Morningstar cobre.

O diretor Tom Lancereau argumenta em sua análise mais recente: “Uma gestora de longa data, um time de analistas excelente, um processo sólido e taxas muito baixas continuam a dar ao Vanguard Health Care uma classificação Ouro pela Morningstar Analyst.

A gestora principal, Jean Hynes, começou a trabalhar nessa estratégia em 1991 no feeder Wellington Management e começou a co-administrá-la com o gestor de longa data Ed Owens em 2008. Ela se tornou a gestora principal em 2012, quando Owens se aposentou. Ela é apoiada por fortes recursos analíticos, incluindo analistas veteranos do setor,  como Ann Gallo e Robert Deresiewicz. A equipe foi fortalecida ainda mais em 2018: Wellington contratou um analista adicional e dois associados, pois promoveu dois ex-associados de pesquisa para a função de analista, elevando a equipe de Hynes a um total de oito analistas e três associados.

O processo de investimento capitaliza esse profundo conhecimento do setor. De baixo para cima, concentra-se em empresas inovadoras, com produtos ou serviços diferenciados e baixos valuations em relação às perspectivas de crescimento. A equipe claramente tem uma mentalidade de longo prazo - a rotatividade do portfólio foi de 11% em 2018 - e procura oportunidades em diferentes setores da saúde, resultando em um portfólio relativamente mais diversificado do que muitos de seus pares, especialmente fundos que se concentram em biotecnologia. A estratégia também tem mais exposição a ações estrangeiras do que a média, 25% em setembro de 2018, versus 8%. No entanto, também é mais focado em Large-Caps. Sua exposição a Small-Caps foi de apenas 1,7%. O tamanho da estratégia certamente a impede de se aventurar muito abaixo da escala do valor de mercado. No entanto, isso não impediu seu sucesso ao longo do tempo, pois a equipe geralmente favoreceu empresas maiores, mesmo quando a base de ativos era menor.

No geral, os investidores tiveram uma experiência menos instável aqui. Taxas baixas tornaram inútil correr riscos excessivos, já que a estratégia já tem um plus sobre seus rivais. ”

 

Vanguard Inflation-Protected Securities (VIPSX)

Gestora: Gemma Wright-Casparius

Início do mandato: agosto de 2011

Este fundo provou ser uma ferramenta sólida de proteção à inflação - e a um baixo custo.

O analista Gabriel Denis diz em seu último relatório:

“Vanguard Inflation-Protected Securities representam uma opção atraente para os investidores no mercado para um hedge direto de inflação. Liderado por uma gestora experiente e com taxas de fundo mínimas, este fundo continua a receber uma classificação Ouro no Morningstar Analyst Rating.

Como base, a equipe mantém esse fundo próximo ao seu índice de referência (Bloomberg Barclays U.S. Treasury Inflation Protected Index). Ao contrário de muitos concorrentes na categoria Inflation-Protected Bond Morningstar, esse fundo não arbitra riscos adicionais ao buscar rendimentos extras em commodities, títulos de alto risco ou outros ativos. No entanto, este não é um fundo de índice puro, e a equipe pode adicionar ou remover riscos em relação ao benchmark, quando há grande convicção sobre uma negociação. Em vez de investigar os setores mais arriscados do mercado, a equipe geralmente procura gerar retorno por meio do posicionamento de valor relativo entre os títulos do Tesouro e escalará dentro ou fora dos títulos fora do prazo quando o preço for atrativo.

Esse cuidadoso esforço de investimento está sob os olhares da experiente gestora Gemma Wright-Casparius desde abril de 2012. Ela ingressou na empresa (e neste fundo) em 2011 e traz quase quarenta anos de experiência em investimentos, grande parte gasta nos mercados de taxas e inflação. Embora a equipe que a apoia diretamente nesse fundo seja pequena, ela pede o apoio dos largos recursos quantitativos, de pesquisa de crédito e de gerenciamento de riscos da Vanguard. Sob sua orientação cautelosa, este fundo atua como um diversificador dos títulos do Tesouro nominais e fornece exposição pura a títulos protegidos por inflação do tesouro dos EUA com cobertura de inflação.

A administração vigilante da equipe e o foco em taxas baixas beneficiaram fortemente os investidores sobre o mandato de Wright-Casparius.”

 

Susan Dziubinski não possui participações em nenhum dos valores mobiliários mencionados acima. Descubra as políticas editoriais da Morningstar.

 

Artigo original em https://www.morningstar.com/articles/967927/12-standout-funds-managed-by-women

About Author

Susan Dziubinski

Susan Dziubinski   é diretora de conteúdo no Morningstar.com.

© Copyright 2020 Morningstar, Inc. Todos os direitos reservados.

Termos de Uso        Política Privacidade        Cookies