Bem vindo ao novo morningstarbr.com! Aprenda mais sobre as mudanças e como nossas novas funcionalidades vão ajudar no seu sucesso.

7 Passos Para Estimar Suas Necessidades de Fluxo De Caixa Em Sua Aposentadoria

Sabedoria popular pode ser comum para aposentados com altas taxas de poupança, mas custos com saúde são algo a se levar em consideração.

Christine Benz 16/10/2019 11:32:00

Novos aposentados frequentemente se regozijam sobre as alegrias de jogar seus alarmes na lixeira e preencher seus dias com qualquer atividade que eles achem gratificante.

Em Morningstar.com, nós falamos bastante sobre os desafios de extrair um fluxo de caixa de um portfolio na era atual de yields baixíssimos. Mas estimar necessidades reais de fluxo de caixa também é um negócio complicado. Enquanto aposentados frequentemente são aconselhados a estimar que eles irão gastar de 75% a 80% de suas receitas na aposentadoria, um paper escrito pelo head de pesquisas de aposentadoria da Morningstar, David Blanchett, demonstrou que podem existir imensas variações nas taxas de reposição de renda entre aposentados – com fatores como renda antes das aposentadoria e porcentagem de poupança servindo como fatores chave. Baseado nos achados de Blanchett, lares com a combinação de alta renda/alta poupança podem necessitar de apenas 60% (ou até menos) de sua renda pré aposentadoria durante a aposentadoria, enquanto a combinação de lares com baixa renda/baixa poupança podem precisar de perto de 90%.

Por fim, pode ser difícil prever a sua necessidade de substituição de renda com muita precisão. Mesmo que você tente antecipar cada despesa de sua aposentadoria na casa dos centavos, gastos não previstos, como custos de seguro-saúde, podem turbinar os gastos ao longo dos anos. Mas, porque as necessidades antecipadas de renda são um ingrediente tão chave no quebra-cabeça da renda na aposentadoria, é útil identificar um número o mais realista possível, mantendo também realista a previsão de que os seus próprios gastos podem variar ao longo do tempo.

Aqui estão os passos chaves.

Passo 1: Encontrar Uma Base Realista

Um ponto chave para começar a determinar a porcentagem da sua renda substituta é a renda do seu trabalho. Se você está perto da aposentadoria e busca manter o mesmo padrão de vida na aposentadoria, usar o seu salário atual é uma base realista. Mas se você é mais novo, por exemplo na faixa de 40 anos, pode ser esperto turbinar a sua base para propósitos de aposentadoria, pois sua renda atual pode não se refletir no quanto você vai gastar quando eventualmente se aposentar. Você não apenas está apto a receber ajustes no custo de vida conforme o tempo passa, mas melhorias na carreira também levar a um salário maior, o que você poderá querer “substituir” na aposentadoria. Como Blanchett percebeu em seu paper, a média de indivíduos com ensino universitário vai receber um salário 50% maior na aposentadoria do que ele ou ela recebia aos 25 anos. Os ganhos salariais ao longo do tempo são menos pronunciados para pessoas com níveis mais baixos de escolaridade.

Passo 2: Subtraia A Sua Taxa De Poupança

O próximo passo para chegar na sua renda de aposentadoria customizada é olhar a porcentagem do seu salário que você está poupando – ou esperar poupar no momento da aposentadoria – e subtrair do seu salário-base. Uma das razões porque indivíduos de alta renda tipicamente possuem menores taxas de substituição de renda do que indivíduos de baixa renda é que eles conseguem poupar uma porcentagem maior de seu salário durante os anos de trabalho; eles precisam menos de seus salários para financias despesas básicas. Um lar que poupa 20% de sua renda vai ver uma taxa de substituição cair para 80% já de saída, mesmo que não se leve em conta mudanças no estile de vida, como se mudar para uma casa menor. Se você está a muitos anos de sua aposentadoria pode ser que você aumente a sua taxa de poupança caso sua renda aumente (veja abaixo).

Passo 3: Subtraia Qualquer Isenção Fiscal

Porque não estão mais pagando a seguridade social, muitas pessoas quantificam os seus ganhos fiscais quando se aposentam. Estes ganhos tendem a ser maiores para trabalhadores com rendas maiores. Lares mais ricos podem ver uma queda porcentual maior em impostos do que lares menos ricos, pois eles possuem maior controle sobre sua renda não isenta agora que eles não estão mais ganhando salário. Além disso, mesmo que ambos os tipos de lares estão retirando renda de seus portfolios para financiar suas despesas durante a aposentadoria, os lares mais ricos possuem mais ferramentas para manter os impostos num patamar mais baixo – por exemplo, retirando ativos apenas para se manteres no patamar fiscal mais baixo.

Passo 4: Subtraia Qualquer Redução Esperada No Seus Custo De Moradia

Custos com moradia são outro item com potencial para mudar substancialmente com a aposentadoria. Faz parte do seu plano se aposentar sem uma hipoteca ou aluguel? Ou talvez você em se mudar de cidade ou para uma casa menor? Mesmo que o objetivo principal de se mudar para uma casa menor seja o de adicionar os ganhos com a venda do imóvel para o seu fundo de aposentadoria, pode ter um efeito salutar na diminuição dos impostos de propriedade e diminuir custos como seguro, mobiliário e manutenção. Como um dono de casa senior, você também pode se qualificar para uma redução em seus impostos pagos, dependendo de onde você mora.

Obviamente não são todos os lares que veem uma queda nos custos de moradia durante a aposentadoria; alguns aposentados continuam com suas residências principais enquanto compram outra casa, o que, na verdade, vai aumentar o seu custos com moradia.

Passo 5: Levar Em Conta Mudanças No Estilo De Vida

Guias de planejamento para aposentadoria frequentemente estimulam que aposentados levem em conta mudanças em outras despesas, como transporte, roupas para trabalhar e alimentação fora de casa, por conta do trabalhou ou de uma agenda atribulada. Para alguns lares, estas despesas podem ser mínimas, mas para outros podem ser mais substanciais. Em seu estudo, Blanchett citou pesquisas apontando custos com comida como uma das despesas que provavelmente cairão com a aposentadoria; um estudo mostrou uma queda entre 5% e 10% enquanto outro mostrou uma queda de 6%. Não apenas os aposentados possuem mais tempo para preparar comida em casa do que eles tinham anteriormente quando estavam trabalhando, eles também possuem mais tempo para ir atrás de preços mais atrativos, disseram as pesquisas.

Assim como comos custos de moradia, despesas relacionadas ao estilo de vida não possuem uma queda garantida na aposentadoria, então não assuma que irá haver uma redução na sua sem antes esmiuçar seus números. Caso uma agenda de viagens ou hobbies caros estejam na sua lista de afazeres, você pode ver qualquer redução em despesas como alimentação serem compensados por um aumento de gastos em outro lugar.

Passo 6: Adicionar Maiores Gastos Com Plano De Saúde

Até agora nós focamos em gastos que aposentados podem esperar que caiam na aposentadoria. Contudo, existe uma área importantíssima onde provalmente vai haver um aumento nos gastos, que são os gastos com saúde. Um estudo recente da Fidelity mostrou que a média de gastos para um casal aposentado é de $285.000, e este número não inclui gastos de longo prazo.

O estudo de Blanchett também mostrou que gastos com seguro saúde são uma parte maior na cesta de consumo para, cálculos das taxas de inflação, em lares idosos; na média, idosos comprometem quase duas vezes mais de suas despesas com seguro-saúde do que a população em geral. Blanchett também aponta que aumentos nos custos de seguro-saúde são um ponto chave do porquê o indição de inflação para idosos (CPI-E) tende a ser 5% maior do que o índice de inflação geral (CPI).

Não apenas os custos com seguro-saúde ultrapassam as taxas de inflação, eles também tendem a aumentar durante o próprio ciclo de vida do aposentado. Gastos mais altos com seguro-saúde são o principal motivo do que Blanchett identificou como “o custo de sorrir na aposentadoria” (the retirement spending smile). Esta é a tendência de que as despesas de lares estejam altas logo após a aposentadoria (viagens e lazer), caem durante o meio da aposentadoria para voltarem a subir rumo ao fim da vida, com os aumentos nos custos de seguro-saúde. Se você é alguém que não possui seguro-saúde, reconheça que as despesas relacionadas à saúde podem sofrer um salto dramático na parte final da sua vida ou de seu parceiro.

Passo 7: Adicione Um Fator De Incerteza

Trabalhar cada um destes itens podem te levar mais perto da sua taxa de substituição de renda ao invés de se fiar em regrar práticas como 75% ou 80% de substituição de renda. Ao mesmo tempo, vale a pena fazer este exercício com o conhecimento de que muito do seu gasto futuro você não conseguirá prever. Gastos com saúde são a maior incerteza para pessoas sem seguro-saúde ou para aqueles que às apólices restringem determinadas coberturas. Muitos idosos também são chamados seus filhos adultos ou suas famílias, o que pode gerar um aumento inesperado nas despesas. Residências também podem gerar despesas caras e inesperadas a qualquer momento. Todos estes fatores podem tirar os seus gastos do plano que você havia traçado. O potencial destas despesas não planejadas acontecerem mostram que você deve considerar poupar um pouco mais do que o necessário, para que tenha algum espaço de manobra em seu planejamento.

Original publicado em: https://www.morningstar.com/articles/839519/7-steps-to-estimating-your-in-retirement-cash-flow-needs

Nota: uma versão deste artigo foi publicado em 11 de Dezembro de 2017.

About Author

Christine Benz  Christine Benz is Morningstar's director of personal finance and author of 30-Minute Money Solutions: A Step-by-Step Guide to Managing Your Finances and the Morningstar Guide to Mutual Funds: 5-Star Strategies for Success. Follow Christine on Twitter: @christine_benz and on Facebook.