4 Regras Práticas Para Investir

Investir pode parecer complicado, mas as diretrizes básicas de um portfólio podem ser um bom ponto de partida.

Amy C. Arnott, CFA 08/02/2021 22:46:00
Facebook Twitter LinkedIn

imagem 1

Investir pode ser incrivelmente complicado, com centenas de milhares de opções de investimento que podem ser combinadas em variações quase infinitas. O grande número de opções disponíveis - e os altos riscos envolvidos na obtenção de decisões corretas - podem tornar o processo opressor.

Essa é uma das razões pelas quais as regras práticas podem ser úteis. Eles são uma maneira de eliminar a complexidade e ajudar os investidores a tomar decisões mais rapidamente, sem se prender a perguntas intermináveis sobre "e se" ou "o que vem a seguir".

Aqui, examinamos algumas das regras práticas mais comuns para investidores:

 

1. Mantenha 100 menos sua idade em ações

Por décadas, os investidores confiaram nesta fórmula simples para orientação de alocação de ativos básicos e denota a proporção de sua carteira que deve ser em títulos e ações. A diretriz é baseada na noção de que indivíduos mais jovens podem se dar ao luxo de assumir mais riscos de investimento por causa de seus horizontes de tempo mais longos.

Assim, uma pessoa de 30 anos teria 70% (100 menos 30) de sua carteira em ações e uma pessoa de 60 anos teria 40%. À medida que os investidores envelhecem, seus horizontes de tempo encurtam, tornando uma alocação crescente de renda fixa mais prudente.

Mais recentemente, 120 tem aparecido como ponto de partida, em parte porque a expectativa média de vida aumentou gradualmente e os rendimentos dos títulos caíram.

Por Que Funciona

Esta regra resistiu ao teste do tempo em parte porque é simples e intuitiva. Há uma forte ligação entre a expectativa de vida e o horizonte de tempo de investimento, uma vez que um portfólio só precisa durar o suficiente para sustentar uma pessoa durante sua vida natural (a menos que alguém queira reservar dinheiro para legados após a morte). Também reforça indiretamente o reequilíbrio da carteira, pois manter a alocação em linha com uma meta baseada em idade exigiria podar as ações após ganhos significativos ou adicioná-las após correções de mercado.

Limitações

Agora que os rendimentos dos títulos estão ainda mais baixos, as alocações de renda fixa provavelmente gerarão retornos menores do que no passado. A diretriz com base na idade também pode não ser ideal para investidores que estão apenas começando ou que estão se aproximando do fim da vida. Um investidor de 25 anos com décadas até a aposentadoria não precisa necessariamente de qualquer exposição a renda fixa como parte de uma carteira básica de aposentadoria, supondo que ele já tenha um fundo de emergência e esteja disposto a assumir o maior risco inerente a uma carteira de ações.

O Veredito

As diretrizes baseadas na idade são um ponto de partida razoável, mas podem ser conservadoras em geral.

 

2. Diversificar para reduzir riscos e melhorar os retornos

Costuma-se dizer que a diversificação é o único lanche grátis em finanças. Essa citação, geralmente atribuída ao Prêmio Nobel Harry Markovitz, refere-se ao poder da diversificação para reduzir o risco sem necessariamente prejudicar os retornos.

Por Que Funciona

De muitas maneiras, a diversificação tem um poder incrível. Dentro de uma classe de ativos, a adição de cerca de 20 títulos adicionais pode reduzir drasticamente o perfil de risco geral de uma carteira. E adicionar classes de ativos com correlações mais baixas é onde a mágica realmente acontece. Quanto menor for a correlação, maior será a redução da volatilidade. É um dos poucos casos em que o todo pode ser mais do que a soma das partes; uma carteira bem construída pode ter melhores retornos ajustados ao risco do que seus componentes isoladamente.

Limitações

O problema é que as correlações mudam com o tempo, então o que funcionou no passado não funcionará necessariamente no futuro. Além disso, adicionar classes de ativos para reduzir a volatilidade também pode reduzir os retornos. A diversificação internacional, por exemplo, pode ter parecido acéfala para os investidores americanos há 30 anos, mas nos últimos 10 anos, os mercados fora dos Estados Unidos geralmente tiveram um desempenho inferior, de modo que a diversificação reduziu os retornos com mais frequência. Outros diversificadores populares, como commodities e metais preciosos, também passaram por crises prolongadas.

O Veredito

Parcialmente verdade, mas muito simplificado. A diversificação continua sendo uma estratégia sólida, mas é uma apólice de seguro que tem um custo e nem sempre compensa.

 

3. Use a regra dos 4% na aposentadoria

Os investidores e consultores financeiros há muito confiam na pesquisa de Bill Bengen sobre taxas de retirada sustentáveis - a taxa na qual você pode retirar suas economias de aposentadoria sem que o dinheiro acabe antes de morrer. Bengen descobriu que definir uma retirada inicial igual a 4% do valor inicial do portfólio e, em seguida, ajustar o valor de retirada de cada ano para a inflação historicamente nunca esgotou totalmente o valor do portfólio, mesmo durante alguns dos piores períodos do mercado desde 1926.

Por Que Funciona

Essa é outra regra prática que resistiu ao teste do tempo por causa de sua capacidade de eliminar a complexidade e fornecer garantias sobre um dos maiores temores dos aposentados: ficar sem dinheiro. Também é útil porque pode ser facilmente submetido a engenharia reversa para determinar a quantidade de economia necessária para a aposentadoria. Uma diretriz de gastos de 4% ditaria um portfólio inicial igual a 25 vezes os gastos anuais. Se você sabe que deseja gastar $50.000 por ano na aposentadoria, por exemplo, pode multiplicar esse valor por 25 para descobrir que precisará de um tamanho de portfólio de $1,25 milhão.

Limitações

A regra de 4% pressupõe que as retiradas corrigidas pela inflação permanecem no mesmo nível ano após ano durante a aposentadoria, independentemente do desempenho do mercado ou das mudanças nas necessidades de gastos. Na prática, muitos aposentados gastam mais nos primeiros anos da aposentadoria em viagens e outras atividades, depois gastam menos à medida que envelhecem e mais no final da vida por causa dos custos médicos ou de cuidados de longo prazo. Além disso, há dúvidas sobre se 4% ainda será sustentável em uma era de rendimentos de títulos mais baixos, o que provavelmente pesará sobre os retornos para carteiras que incluem renda fixa.

O Veredito

A regra dos 4% ainda é um ponto de partida razoável, mas os investidores podem querer usar um número um pouco menor para contabilizar retornos de longo prazo potencialmente menos robustos.

 

4. Manter gastos de 3-6 meses em economias de emergência

Os investidores iniciantes são frequentemente aconselhados a começar estabelecendo um fundo de emergência. A vida pode ser imprevisível, e eventos imprevistos, como quebra de carro, despesas médicas ou desemprego repentino, geralmente envolvem grandes despesas de dinheiro. Sem uma reserva de caixa, as pessoas podem ser forçadas a contrair dívidas ou investir em investimentos de longo prazo para cobrir esses custos.

Por Que Funciona

Reservar dinheiro para lidar com eventos inesperados é uma base essencial para o planejamento financeiro pessoal. Sem isso, é difícil fazer progresso em direção a outras metas financeiras, como pagar dívidas, construir economias para a aposentadoria ou reservar dinheiro para ajudar a pagar a educação universitária de um filho.

Limitações

Eu consideraria três a seis meses de economia como o mínimo. A tolerância individual ao risco varia, mas pessoalmente estou mais confortável em manter as reservas de caixa perto de 12 meses de gastos. Isso torna mais fácil cobrir despesas inesperadas sem vender ativos de investimento em um momento inoportuno. O desemprego continua a ser um grande problema para muitas pessoas ao redor do mundo e muitas vezes leva vários meses para um trabalhador dispensado encontrar um novo emprego, especialmente em um ambiente como a pandemia do coronavírus, que fechou muitos negócios e forçou outros a reduzir na equipe.

O Veredito

Três a seis meses é um bom ponto de partida, mas considere reservar mais se puder.

 

Conclusão

A maioria das regras práticas discutidas acima resistiu ao teste do tempo. Mas compreender algumas das nuances por trás de como eles podem - ou não podem - apoiar uma estratégia de portfólio sólida pode ajudar os investidores a aplicá-la de maneira mais eficaz.

 

 

Artigo original em https://www.morningstar.co.uk/uk/news/208975/4-investment-rules-of-thumb.aspx

Facebook Twitter LinkedIn

About Author

Amy C. Arnott, CFA  é diretora de análise de ativos da Morningstar.

© Copyright 2021 Morningstar, Inc. Todos os direitos reservados.

Termos de Uso        Política Privacidade        Cookies