O Único "Almoço Grátis" Em Investimentos

Porque se tornar global reduz a volatilidade e melhora os retornos.

Paul Kaplan 06/08/2020 15:18:00

 

Suponha que um amigo sem experiência em investimentos tenha herdado um milhão de dólares e estivesse empolgado com uma ação de tecnologia que seu cunhado recomendara. Você provavelmente o aconselharia a não colocar o valor total nessas ações, mas a investir em um portfólio diversificado de ações e outras classes de ativos.

Agora, suponha que, em vez de uma ação individual, seu amigo estivesse pensando em investir seu dinheiro inteiramente em um ETF de ações diversificado. Você provavelmente o aconselharia a diversificar as classes de ativos, mas também o aconselharia a investir em mercados de ações fora do Canadá? E se sim, quanto?

Investidores em todo o mundo favorecem fortemente seus países de origem em suas carteiras de investimentos, especialmente nas partes de ações. Os investidores canadenses não são exceção. Embora isso seja menos problemático para investidores norte-americanos (uma vez que o mercado de ações dos EUA é diversificado em setores econômicos e representa uma grande parte dos mercados de ações globalmente), é (ou deveria ser) um problema para investidores em países com pequenos mercados de ações. Isso é especialmente verdade em países como o Canadá, cujos mercados estão concentrados em alguns setores econômicos.

Diversificação é o único "almoço grátis" nos investimentos. Ao diversificar, os investidores podem reduzir riscos e possivelmente melhorar o desempenho. Para ver isso, imagine que o retorno de uma carteira tenha flutuado entre -15% e 25%, de modo que o retorno médio seja de 5%. Com o tempo, a taxa composta de retorno será de cerca de 3,1%.

Agora, suponha que, através da diversificação, fosse possível criar um portfólio com retornos que oscilassem entre -5% e 15%. O retorno médio dessa carteira também é de 5%, mas a taxa composta de retorno será de cerca de 4,5%. Isso ilustra a verdade matemática de que, se duas carteiras tiverem o mesmo retorno médio, aquela com menor volatilidade terá desempenho superior. Portanto, qualquer oportunidade para reduzir a volatilidade sem reduzir o retorno médio deve ser aproveitada.

As oportunidades para reduzir a volatilidade por meio da diversificação decorrem do fato de que diferentes classes de ativos e diferentes mercados não se movem em passos paralelos. Um bom exemplo disso é o comportamento dos mercados de ações do Canadá e dos EUA. Embora as economias canadense e norte-americana estejam intimamente ligadas, seus mercados de ações são distintos. Para ver isso, calculei a correlação dos retornos mensais do Índice S&P/TSX Composite e do Índice S&P 500 no período de janeiro de 1988 a abril de 2014. (explicarei por que escolhi esse período mais tarde). Esta correlação é de cerca de 0,6; uma correlação de 1,0 significaria que eles se moveram exatamente iguais. (Em todos os exemplos fornecidos neste artigo, os retornos dos índices de ações estrangeiras são convertidos em dólares canadenses.)

Durante esse período, o S&P/TSX Composite teve um desvio padrão anualizado de cerca de 14,4% e o S&P 500 teve um desvio padrão de cerca de 12,9%. Uma combinação de 50 a 50 desses dois índices, rebalanceada mensalmente, teria um desvio padrão de cerca de 12,2%, que é menor que os índices por si só.

Obviamente, o Canadá e os EUA constituem apenas os mercados desenvolvidos da América do Norte. Para alcançar uma diversificação verdadeiramente global, precisamos incluir os mercados da Europa e da Ásia. O MSCI EAFE Index é provavelmente a representação mais popular de mercados desenvolvidos fora da América do Norte. EAFE significa "Europa, Australásia e Extremo Oriente", portanto o índice inclui a Austrália e a Nova Zelândia. Os fundos de índice e ETFs baseados em EAFE são as maneiras mais simples para a maioria dos investidores obter exposição a esses mercados. Como alternativa, você pode investir em um fundo gerido ativamente que tenha esse índice como referência.

Analisei os retornos mensais do Índice MSCI EAFE no período de janeiro de 1988 a abril de 2014. Por si só, ele tinha um desvio padrão de cerca de 15,1% - superior ao S&P/TSX Composite e S&P 500. Sua correlação com esses dois índices foi de 0,55 e 0,63, respectivamente, de modo a proporcionar diversificação para os investidores canadenses. Uma carteira composta por 40% no S&P/TSX Composite, 40% no S&P 500 e 20% nos índices MSCI EAFE rebalanceados mensalmente, teria um desvio padrão de cerca de 12,0%, que é menor do que todos os índices.

Os investidores canadenses também podem explorar países de mercados emergentes. Assim como no EAFE, a exposição a mercados emergentes pode ser obtida investindo em ETFs que rastreiam índices ou investindo em fundos gerenciados ativamente que são comparados a um índice de mercados emergentes.

Um desses índices é o MSCI Emerging Markets Index, que inclui países em desenvolvimento da Ásia, América Latina e Europa. Como os retornos desse índice começam em janeiro de 1988, utilizo o período de janeiro de 1988 a abril de 2014 para todas as análises deste artigo. Nesse período, esse índice teve um desvio padrão anualizado de cerca de 20,7%, valor significativamente superior ao dos índices de mercados desenvolvidos que analisamos anteriormente. No entanto, a correlação dos retornos desse índice com os retornos dos índices de mercados desenvolvidos é bastante baixa (0,62, 0,53 e 0,58 com o S&P/TSX Composite, o S&P 500 e o MSCI EAFE, respectivamente.)

Portanto, embora a combinação do índice de mercados emergentes com os índices de mercados desenvolvidos possa aumentar a volatilidade geral, o impacto pode ser pequeno. Por exemplo, um portfólio composto por 40% no S&P/TSX Composite, 40% no S&P 500, 15% no MSCI EAFE e 5% nos índices de mercados emergentes do MSCI, rebalanceado mensalmente, teria um desvio padrão de cerca de 12,1%, que é apenas ligeiramente superior ao portfólio 40-40-20 que consideramos anteriormente.

É importante observar que toda a análise apresentada aqui é sobre como a exposição combinada a diferentes mercados de ações afeta a volatilidade. No entanto, reduzir a volatilidade não é o único objetivo da construção do portfólio. O retorno esperado do portfólio também é importante. Por exemplo, se você acredita que os mercados emergentes superarão os mercados desenvolvidos no longo prazo, faz sentido ter alguma exposição ao mercado emergente, mesmo que aumente um pouco a volatilidade do seu portfólio.

Embora a diversificação global de ações seja uma boa estratégia de longo prazo, há momentos em que parece falhar. Durante a crise financeira de 2008-2009, os mercados acionários em todo o mundo caíram. No entanto, foi nessa época que as taxas de juros das dívidas soberanas de alta qualidade caíram. Os investidores diversificados em ações e renda fixa perderam muito menos do que aqueles que investiram apenas em ações. Portanto, embora a diversificação global de ações seja um elemento importante da construção do portfólio, a diversificação entre classes de ativos também é importante.

 

Artigo original em https://www.morningstar.ca/ca/news/190962/the-only-free-lunch-in-investing.aspx

About Author

Paul Kaplan  Paul Kaplan is Director of Research for Morningstar Canada.

© Copyright 2020 Morningstar, Inc. Todos os direitos reservados.

Termos de Uso        Política Privacidade        Cookies