Bem vindo ao novo morningstarbr.com! Aprenda mais sobre as mudanças e como nossas novas funcionalidades vão ajudar no seu sucesso.

CEO da BlackRock Defende Investimentos Sustentáveis

Sustentabilidade é o novo padrão de investimentos da BlackRock

Jon Hale 16/01/2020 11:51:00

As cartas anuais do CEO da BlackRock, Larry Fink aos CEOs corporativos nos últimos anos foram uma mudança no pensamento sobre o objetivo da corporação - e no investimento. Fink começou a seguir esse caminho em 2018, quando intitulou sua cartaA Sense of Purpose” (Um Senso de Propósito), argumentando que empresas de sucesso existem para beneficiar todos os seus stakeholders e dar uma contribuição positiva à sociedade. No ano passado, ele reiterou essa ideia, observando que as empresas enfrentam expectativas crescentes de todos os seus stakeholders por demonstrar propósito positivo e liderança pública.

Essa visão - denominada capitalismo das partes interessadas (stakeholder capitalism) - contraria a noção de primazia dos acionistas, a ideia de que o objetivo de uma empresa pública nada mais é do que maximizar o valor dos acionistas. Esta noção está em declínio, refletida no crescente senso de que o capitalismo global não está funcionando bem o suficiente para a maioria das pessoas. E, a longo prazo, isso significa que também não funcionará para os acionistas.

As estratégias de investimento sustentável variam, mas a maioria delas tenta identificar empresas que busquem valor para os stakeholders, evitar aquelas que não estão e se envolver com aquelas que possuem, para incentivá-las na direção certa. A longo prazo, é mais provável que as empresas adotem uma abordagem de valor para os stakeholders se souberem que têm uma base de apoio entre seus investidores.

Essa base de suporte ficou muito maior. Com base na carta deste ano aos CEOs e uma carta de acompanhamento aos clientes, o maior gestor de ativos do mundo acabou de se tornar o maior investidor sustentável do mundo.

De fato, na carta aos clientes, Fink anuncia que a sustentabilidade é o "novo padrão" da BlackRock para investir.

O que isso significa? Primeiro, significa estabelecer uma expectativa de que as empresas avaliem seus riscos relacionados à sustentabilidade e reportem aos acionistas usando as diretrizes definidas pela Task Force on Climate-related Financial Disclosure and the Sustainable Accounting Standards Board (Força-Tarefa sobre Divulgação Financeira Relacionada ao Clima e pelo Sustainable Accounting Standards Board).

Segundo, significa integrar sustentabilidade em todas as estratégias de investimento da empresa, visando reduzir o risco ESG em estratégias ativamente geridas. Para este fim, a BlackRock espera abandonar sua exposição aos produtores de carvão térmico este ano. A empresa pretende reportar aos clientes os riscos de sustentabilidade em todas as suas carteiras, usando a trilha de carbono (carbon footprint ) e outras medidas.

Terceiro, a BlackRock pretende expandir suas ofertas de estratégias focadas em sustentabilidade. Ela pretende dobrar suas ofertas de ETFs passivos focados em ESG, criar portfólios livres de combustível fóssil e adicionar estratégias ativas focadas na transição energética global e no investimento de impacto. Ela também pretende expandir suas estratégias de alocação de ativos para ESG e criar uma série muito necessária de fundos datas-alvo ESG.

Por fim, a BlackRock pretende aprimorar ainda mais suas atividades de guia de acionistas que apóiam a sustentabilidade e o capitalismo de stakeholder. Na semana passada, a empresa ingressou no Climate Action 100+, um grupo de investidores que se envolve com os emissores de carbono mais significativos do mundo. Também notificou que pretende votar com mais frequência contra as administrações que demorem a divulgar os riscos climáticos e outros riscos relacionados à sustentabilidade aos acionistas. (Nossa pesquisa mostrou que a BlackRock tende a votar junto à administração das empresas contra resoluções patrocinadas pelos acionistas sobre questões climáticas e de sustentabilidade.) E notavelmente, ela pretende ser mais transparente sobre suas práticas de voto e engajamento, passando para a divulgação trimestral de votos, publicando sua justificativa para votos importantes e fornecer mais informações sobre compromissos com empresas.

O que pensar de tudo isso? A BlackRock tem enfrentado críticas por não assumir a liderança entre os principais investidores globais no combate à crise climática. Agora, sinalizou sua clara intenção de fazê-lo e, de maneira mais geral, ser o principal investidor sustentável do mundo. O tempo dirá, é claro, mas poucos gestores de ativos estão dispostos a ser tão ousados em sinalizar sua intenção de abraçar a sustentabilidade.

 

Artigo original em https://www.morningstar.com/articles/962071/blackrock-ceo-makes-the-case-for-sustainable-investing

About Author

Jon Hale

Jon Hale  , Ph.D., CFA é o head de pesquisa de sustentabilidade da Morningstar.