Como Falar Investimentês

Confuso com os jargões do mercado financeiro? Nós estamos aqui para ajudar.

Adam Zoll 22/04/2020 17:31:00

Pergunta: Ao ler relatórios financeiros da Morningstar ou de gestoras de fundos, às vezes me deparo com termos desconhecidos ou pouco claros para mim. Você poderia fornecer uma lista que explica os termos de investimento mais usados, para que investidores iniciantes como eu possam entender o que os profissionais estão discutindo?

Resposta: Os investidores iniciantes costumam se incomodar com alguns dos jargões que os profissionais de investimento usam, tanto que se parece quase como ouvir uma língua estrangeira. Em alguns casos, o jargão é usado como abreviação para conceitos complexos - como quando um profissional menciona MPT, sigla em inglês para Teoria Moderna do Portfólio, uma abordagem sofisticada de investimento que visa otimizar um grupo de ativos para equilibrar desempenho e risco. Em outros casos, o jargão é simplesmente usado como um sinônimo mais comumente usado - porque o setor de serviços financeiros prefere o termo "yield" a "rendimento" parece mais uma questão de convenção do que qualquer outra coisa.

Não existe uma Pedra de Roseta que traduza Mercado-Financeirês para Português (pelo menos ainda não), mas o glossário a seguir é um começo. Claro, isso é apenas a ponta do iceberg, e novos termos entram em moda o tempo todo. Mas, no mínimo, os termos definidos abaixo devem ajudar aqueles que não sabem investir ou que, às vezes, ficam coçando a cabeça depois de ler a carta trimestral de um gestor de fundos.

 

Alavancagem: O uso do empréstimo de fundos, ações, opções e outras técnicas para aumentar a exposição ao desempenho de um ativo.

Alfa: Uma medida do desempenho de um fundo em relação ao seu “objetivo” (benchmark), dado o grau de risco assumido pelo fundo. A capacidade de gerar um alfa positivo é geralmente vista como uma vantagem. (Clique aqui para saber mais.)

Arbitragem: Uma estratégia de investimento que busca capitalizar as variações de preço de um ativo. Isso inclui estratégias de baixo risco, como comprar uma ação em uma bolsa e vendê-la em outra bolsa, onde esta é negociada a um preço mais alto, bem como estratégias de maior risco, como comprar ações de uma empresa que está sendo adquirida, com o objetivo que seu preço aumentará à medida que a data da venda se aproxima.

Beta: Uma medida de volatilidade com base no grau em que um fundo se move em relação a uma referência (benchmark). Um fundo com Beta alto experimenta altos mais altos e baixos mais baixos e é considerado mais arriscado do que um fundo com Beta baixo. (Você encontrará uma explicação mais completa aqui).

Benchmark: O mesmo que referência. Também pode ser encarado como o objetivo do fundo. Um fundo ativo busca superar seu benchmark, enquanto um fundo passivo irá ter como objetivo acompanhar seu benchmark.

Bull/Bear: Um investidor que acredita que os mercados vão subir (bull) ou cair (bear). Seu significado advém dos ataques destes animais: o touro (bull) ataca com os chifres, de baixo para cima, enquanto o urso (bear) ataca com as patas, de cima para baixo.

Capitalização: Abreviação de capitalização de mercado. O valor total do patrimônio de uma empresa, conforme definido pelo mercado, calculado multiplicando o preço das ações de uma empresa pelo número de ações em circulação. Geralmente dividida em faixas de tamanho: Grande (Large), Média (Mid) e Pequena (Small).

Cisne Negro: Uma ocorrência extremamente rara e inesperada, com um impacto significativo nos mercados, como a crise financeira de 2008. Esse conceito foi popularizado pelo livro "A Lógica Do Cisne Negro", de Nassim Nicholas Taleb.

Correlação: O grau em que dois ativos tendem a se mover na mesma direção.

Correção: Tecnicamente, uma queda de 10% nos preços das ações em relação à alta, embora às vezes seja usada para descrever quedas menores ocorrendo em um curto espaço de tempo.

Curva de Yield: Taxa na qual as taxas de juros mudam à medida que se muda de títulos com vencimentos mais curtos para aqueles com vencimentos mais longos.

Derivativo: Um instrumento financeiro, como futuros e opções, no qual o desempenho é baseado em um ativo subjacente. (Para obter mais informações, consulte este artigo no Short Answer.)

Duration: Uma medida da sensibilidade à taxa de juros de um título ou carteira de títulos (duration média). (Clique aqui para saber mais.)

Hedge: Um investimento usado para compensar o risco como parte de uma estratégia mais ampla - por exemplo, usar opções como salvaguarda contra um investimento de baixo desempenho.

Investimento ativo/passivo: Abordagens diferentes para gerenciar a carteira de valores mobiliários de um fundo, também conhecida como portfólio. Escolher títulos individuais com base em uma estratégia é considerado ativo enquanto a construção de um portfólio com base em um índice é considerado passivo.

Mean Reversion (Reversão à média): A expectativa de que os retornos de um ativo - se forem maiores ou menores do que merecem - acabará voltando à linha de sua tendência histórica.

Mercado em baixa (Bear Market): Normalmente, refere-se a uma queda de pelo menos 20% em relação ao pico da bolsa de valores durante um período de meses ou anos.

Papéis: O mesmo que ações. Eles representam "pedaços" de propriedade de uma empresa.

Prêmio/Desconto: A medida em que um ativo negocia a um preço acima (prêmio) ou abaixo (desconto) de seu valor de face, ou o grau em que um ETF (fundo negociado em bolsa) negocia acima (prêmio) ou abaixo (desconto) do total de seus ativos líquidos.

Renda fixa: Geralmente usada para se referir a títulos, mas também a outros ativos que paguem uma taxa pré-definida de juros ou dividendos, incluindo títulos do Tesouro.

Valuation: Valor estimado de uma empresa, normalmente usado para determinar se suas ações são uma pechincha, estão com preços justos ou com preços caros.

Volatilidade: Uma medida do grau em que o desempenho de um fundo varia, normalmente expresso pelo desvio padrão. Maior volatilidade sugere uma gama mais ampla de retornos potenciais e, portanto, maior risco potencial.

 

Existem termos de investimento adicionais que você já pensou e que não estão aqui? Envie-os por e-mail para The Short Answer para possível uso em um artigo futuro.

 

Você tem uma pergunta sobre finanças pessoais que gostaria de responder? Envie para TheShortAnswer@morningstar.com.

 

Artigo original em https://www.morningstar.com/articles/634548/how-to-speak-investment-ese

About Author

Adam Zoll

Adam Zoll  é editor assistente de Morningstar.com

© Copyright 2020 Morningstar, Inc. Todos os direitos reservados.

Termos de Uso        Política Privacidade        Cookies