Até os Ativos Mais Seguros Estão Sentindo a Pressão

Por que os títulos do Tesouro dos EUA e os metais preciosos não são mais o refúgio seguro que costumavam ser?

Dave Sekera, CFA 24/03/2020 10:54:00

Nota do editor: leia as últimas informações sobre como o coronavírus está agitando os mercados e o que os investidores podem fazer para navegá-lo.

 

Enquanto os índices de ações continuam atingindo os valores mais baixos em muitos anos e os repiques não conseguem quebrar a tendência de queda, muitos investidores estão correndo para reduzir ou eliminar os riscos de suas carteiras. No entanto, muitos ativos de refúgio falharam em fornecer a segurança que os investidores buscam durante mercados voláteis.

Normalmente, quando os mercados acionários estão sob pressão de venda, ativos de refúgio, como títulos do Tesouro dos EUA ou metais preciosos, ajudam os investidores a proteger suas carteiras. No entanto, mesmo essas classes de ativos estão sob pressão.

 


O Que Está Por Trás da Venda de Títulos do Tesouro dos EUA

Durante os recuos do mercado, os investidores geralmente vendem as ações que consideram mais arriscadas e realocam seus recursos em títulos até que estejam dispostos a se aventurar novamente no mercado de ações. Esta relação histórica se manteve verdadeira no final de fevereiro e no início de março, quando os investidores migraram para a segurança dos títulos do Tesouro dos EUA e toda a curva de rendimentos (yield) se achatou, à medida que os preços dos títulos aumentaram.

Mas, depois que os yields dos títulos do Tesouro dos EUA atingiram novas mínimas históricas no início da semana passada, o yield destes mesmo títulos cresceram no meio e na parte mais longa da curva.

Parece haver duas razões principais para esta liquidação no meio e no final da curva:

  • O yield dos títulos do Tesouro dos EUA de longo prazo caiu para níveis mínimos. Este movimento motivou muitos investidores a reduzir o duration de suas carteiras. Essencialmente, os yields próximos de zero oferecem quase nenhum retorno sobre o carrego e têm muito pouco potencial de subida de preço, a menos que um investidor acredite que os títulos do Tesouro dos EUA negociarão com um yield negativo. À medida que o trade-off de risco / retorno diminui, faz sentido vender títulos do Tesouro de longo prazo e trocar por títulos de curto prazo. Este swap reduz significativamente o risco de duration e os investidores perdem muito pouco potencial de valorização de yield ou preço.
  • Muitos investidores estão percebendo que os pacotes de estímulos propostos precisarão ser financiados por novas emissões do Tesouro. Além do financiamento do déficit ordinário, o tamanho dos pacotes de estímulo (atualmente por volta de US$ 1,2 trilhão) significa que haverá uma emissão ainda maior de novos títulos do Tesouro dos EUA, lançados no mercado ainda este ano. Os traders destes títulos estão preocupados com o fato de que, com esses yields baixos, não haverá demanda suficiente para absorver a nova emissão.

 

Por Que o Mercado de Ouro Está Sentindo a Pressão

Os preços do ouro também estão sob pressão, mas não porque os mercados estão preocupados com uma oferta adicional. Em vez disso, as posições em ouro foram reduzidas ou até mesmo liquidadas, já que os fundos de hedge e as mesas de negociação precisaram aumentar o capital para atender às garantias em outras posições.

Com muitos fundos de hedge caindo 20% ou mais no acumulado do ano, alguns destes provavelmente estão vendendo ou liquidando suas posições em ouro, mesmo contra sua vontade. Além disto, de um ponto de vista fundamentalista, existe uma preocupação crescente de que os efeitos econômicos do COVID-19 reduzam a demanda de curto prazo por joias de ouro na China (o que representa uma quantidade substancial da demanda global).

 

Assista a Um Dia Inteiro de Negociação Para Entender os Mercados de Ações

Nesse tipo de mercado, é importante observar como os preços das ações são negociados até o fechamento do mercado, para ter uma idéia de quantos investidores alavancados precisam obter garantias para satisfazer suas margens com seus prime brokers.

Frequentemente, durante o ápice da crise financeira global de 2008-09, o mercado de ações parecia se estabilizar 20 a 30 minutos antes do fechamento, apenas para ver os índices caírem vertiginosamente nos últimos 15 minutos de negociação. Isto aconteceu porque os gestores de hedge funds esperavam até o final do dia para obter o cálculo mais preciso de quanto dinheiro precisavam levantar antes dos mercados fecharem e, então, liquidarem o que podiam para levantar dinheiro suficiente para atender às margens de garantia.

Esse tipo de evento de fim de mercado já ocorreu várias vezes durante a crise do COVID-19. Assim que os fundos alavancados se desfizerem de suas posições e estas vendas forçadas começarem a diminuir, esperamos que uma quantidade substancial de volatilidade no mercado diminua.

Somos a favor de investir em empresas que consideramos ter um fosso econômico Morningstar, Amplo ou Estreito, e que são negociadas com uma margem significativa de segurança em relação ao seu valor intrínseco. Para investidores que busquem investir no mercado acionário, incentivamos a verificar as ações com 4 ou 5 estrelas, que atualmente vemos como subvalorizadas.

 

 

Este artigo foi escrito em nome da Morningstar, Inc. e não é a visão da DBRS Morningstar.

 

 

Artigo original emhttps://www.morningstar.com/articles/973164/even-safe-haven-assets-are-feeling-the-pressure

About Author

Dave Sekera, CFA  é analista sênior de investimentos da Morningstar.

© Copyright 2020 Morningstar, Inc. Todos os direitos reservados.

Termos de Uso        Política Privacidade        Cookies