Bem vindo ao novo morningstarbr.com! Aprenda mais sobre as mudanças e como nossas novas funcionalidades vão ajudar no seu sucesso.

3 Barganhas No Portfolio da Berkshire

Este trio de ações do portfolio da Berkshire Hathaway estão subavaliadas, de acordo com nossas métricas.

Morningstar.com 27/11/2019 00:12:00

Na semana passada, a Berkshire Hathaway (BRK.A) (BRK.B) publicou seu relatório trimestral de ativos norte-americanos em carteira. Como observou o estrategista do setor da Morningstar (e especialista em Berkshire) Gregg Warren, a Occidental Petroleum (OXY) dominou a atividade de compra de ações durante o trimestre, e a aquisição da varejista de luxo Restoration Hardware (RH) pela Berkshire ganhou as manchetes.

No entanto, nenhuma destas ações estão negociando hoje na faixa de compras de acordo com nossas métricas: a Occidental está negociando em níveis de 3 estrelas, sugerindo que as ações são avaliadas de maneira justa quando ajustadas pelo risco de incerteza; RH é uma ação de 2 estrelas, o que significa que está supervalorizada hoje. De fato, a maioria das empresas que a Berkshire possui estão ligeiramente supervalorizadas. Não é de admirar: se Warren Buffett e seu time gostaram destas ações, outros investidores inevitavelmente também o farão.

No entanto, existem algumas barganhas escondidas no portfólio. Aqui está uma olhada em três deles.

 

DaVita (DVA)

Classificação da Morningstar (até 20 de novembro de 2019): 4 Estrelas

Classificação de Incerteza: Média

Fosso econômico (vantagem competitiva): Estreito

Embora a ação seja uma pequena posição no portfólio da Berkshire (cerca de 1%), a Berkshire possui cerca de um quarto das ações da empresa, tornando-a o seu maior acionista. Atribuímos ao maior provedor de diálise dos Estados Unidos uma classificação Morningat Economic Moat (vantagem competitiva) estreita, graças à sua posição dominante e essencial em seu mercado.

Então, por que essa ação "moaty" é uma das poucas do portfólio ainda sendo negociado com desconto? Preocupações regulatórias pressionaram a ação, explica o diretor do setor Damien Conover.

"Embora tenha havido muita preocupação dos investidores ao longo dos últimos anos, resultante de uma estrutura de indústria que gera lucros em todo o setor para um pequeno punhado de pacientes com seguro comercial, advertimos os investidores a não perderem de vista a visão do todo", diz Conover. "DaVita fornece serviços de saúde que salvam vidas a pacientes crônicos em um ambiente ambulatorial de baixo custo. Como a alternativa à diálise ambulatorial é mais caro e menos eficiente, e a terapia aguda mais onerosa, vemos pouca probabilidade de a DaVita vacilar devido à interrupção regulatória no a longo prazo".

O escrutínio contínuo dos programas de assistência ao paciente pode causar alguma dor ao setor, se alguma mudança limitar a capacidade do paciente de permanecer em seus planos comerciais, ele admite. Porém, com o tempo, isso catalisaria uma maior consolidação do setor, "deixando a DaVita em uma posição comparativamente vantajosa em comparação com pares menores e independentes, que não possuem as vantagens de custo presentes nas operações do DaVita", diz ele.

 

General Motors (GM)

Classificação da Morningstar (até 20 de novembro de 2019): 4 Estrelas

Classificação da Incerteza: Alta

Fosso Econômico (vantagem competitiva): Nenhum

A GM representa pouco mais de 1% do portfólio da Berkshire, e a Berkshire possui cerca de 5% das ações em circulação da GM.

A GM é a líder de mercado nos EUA, mas não possui um fosso econômico, diz o estrategista do setor David Whiston. Embora a fabricação de carros necessite de muito capital, as barreiras à entrada não são tão altas quanto antes. E, dada a competitividade do setor, é quase impossível para uma empresa obter uma vantagem sustentável, observa ele.

No entanto, achamos que há muito a gostar na GM.

"Pensamos que os carros da General Motors são da melhor qualidade e design em décadas", argumenta Whiston. "A empresa já é líder em modelos de caminhonetes leves e pesados, portanto, uma linha competitiva em todos os segmentos, combinada com uma base de custos muito menor, diz para nós que a GM está começando a perceber a escala que corresponde ao seu tamanho".

Whiston considera o potencial de ganhos da GM "excelente", observando que a montadora finalmente tem uma unidade norte-americana saudável e um braço financeiro quase maduro na GM Financial. A GM também se engajou em medidas de economia de custos, incluindo uma solução para custos de assistência médica para aposentados e o fechamento de fábricas.

Por fim, os consumidores estão dispostos a pagar mais pelos produtos GM do que no passado.

"A GM agora opera em um modelo de produção por demanda, onde irão produzir apenas para atender os pedidos, está estruturada para não performar abaixo do break even no ponto mais baixo de um ciclo econômico e está prestes a ver o lado positivo de ter um alto grau de alavancagem operacional. O resultado são lucros maiores, apesar de menor participação de mercado nos EUA ", conclui.

 

Kraft Heinz (KHC)

Classificação da Morningstar (até 20 de novembro de 2019): 4 Estrelas

Classificação de Incerteza: Alta

Fosso Econômico (vantagem competitiva): Nenhum

Com quase 5% do total de ativos, a Kraft Heinz é uma posição mais considerável no portfólio da Berkshire; A Berkshire também possui quase 27% das ações da KHC.

Tem sido um caminho difícil para os acionistas da Kraft Heinz. A empresa concentrou-se em eliminar ineficiências nos últimos anos, o que aumentou suas margens operacionais. Mas as vendas diminuíram, caindo 0,3% anualmente desde o ano fiscal de 2015, informa a diretora Erin Lash. A administração priorizou o fluxo de caixa de curto prazo em detrimento da proteção de sua posição competitiva. Não é de surpreender que não acreditemos que a Kraft Heinz tenha hoje uma vantagem competitiva.

"Embora o novo CEO Miguel Patricio pareça não estar abrindo o jogo por enquanto (o que é razoável, já que ele está no comando apenas desde junho), acreditamos que sua insatisfação com o desempenho e a aparente determinação de manter o equilíbrio da empresa podem ser os ingredientes necessários para, finalmente, impulsionar ganhos a longo prazo ", diz Lash.

Para este fim, Patricio tem sido sincero a respeito de erradicar ineficiências, em vez de simplesmente cortar custos e reforçar os investimentos por trás de suas marcas. Ele planeja compartilhar seu planejamento estratégico no início de 2020. Seu pensamento parece estar alinhado com o nosso.

"No entanto, não esperamos que os catalisadores de curto prazo reduzam substancialmente a lacuna em relação à nossa avaliação do valor intrínseco da Kraft Heinz e sugerimos que os investidores tenham paciência com este papel", lembra Lash.

Susan Dziubinski não possui ações de nenhum dos ativos mencionados acima. Descubra as políticas editoriais da Morningstar.

Artigo original em https://www.morningstar.com/articles/957209/3-bargains-in-berkshires-portfolio

About Author

Morningstar.com  Morningstar.com offers coverage of more than 1,700 stocks, 1,700 mutual funds, and 300 ETFs, plus market news, economic analysis, portfolio-planning insights, and investment commentary.